Cidades do Sertão têm aumento de 3.900% nos casos de dengue

0
10

csm_denguecapafeira2_0fc30da63b.jpg

Cidades integrantes da Gerência regional de Saúde (Geres) VII de Pernambuco — que engloba os municípios de Belém do São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova e Verdejante – registraram um aumento impressionante de 3.900% nas notificações de dengue em 2019.

A informação, divulgada pela Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde do estado, compara os dados coletados de 1º de janeiro até 29 de abril com o mesmo período de 2018. Considerando as sete cidades, foram 1.760 casos suspeitos este ano, contra 44 em 2018.

Nos dados consolidados de Pernambuco, foram 10.621 casos suspeitos de dengue em 169 cidades pernambucanas este ano — uma alta de 20% em relação ao ano passado (8.845 casos).

Outras arboviroses também registraram uma escalada significativa no comparativo com o primeiro quadrimestre de 2018. A zika apresentou um aumento de 128% no número de notificações neste ano em comparação com mesmo período de 2018. Segundo a SES, foram 728 registros da doença em 80 municípios entre 1º de janeiro e 27 de abril. No mesmo período do ano passado, foram reportados 319 casos suspeitos.

Em relação à chikungunya, os dados mostram 1.687 registros em 102 municípios, representando um aumento de 35,5% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando foram notificados 1.245 casos.

No Recife e Região Metropolitana, os registros epidemiológicos mostram aumento nos números das três doenças em 2019. Foram 517 casos de zika (169,3% a mais em comparação aos 192 do ano passado), 4.333 de dengue (alta de 5,3% em relação aos 4.116 de 2018) e 770 de chikungunya (40,5% a mais do que em 2018, quando foram 548 casos).

Procurada, a SES declarou que presta todo o apoio técnico aos municípios, a quem cabe a realização de medidas de prevenção às arboviroses, nas ações de campo. “Essa ação de controle é de responsabilidade municipal, o estado dá apoio técnico. Quanto ocorre um episódio de epidemia é que intervimos. Já fizemos nossa parte, o que precisamos é que os municípios intensifiquem o controle nos locais onde está havendo aumento dos mosquitos”, afirma a gerente de vigilância das arboviroses da SES, Claudenice Pontes.

Claudenice acrescenta que a SES promoveu recentemente uma capacitação com os profissionais de saúde de Pernambuco e irá lançar um aplicativo para agilizar a transmissão de informações durante as visitas dos agentes de endemias às casas da população. “Estamos implantando um sistema para analisar a situação ambiental e ter um diagnostico mais rápido dos municípios. Escolhemos Salgueiro para começar, já a partir da próxima semana. Vamos distribuir smartphones para todos os agentes e então teremos uma resposta mais rápida dos municípios”, explica Claudenice.

Suspeitas de casos congênitos de zika caíram

O número de suspeitas de casos congênitos de zika neste ano (especialmente microcefalia) apresentou queda, embora o número permaneça alto. Foram 22 notificações, uma redução de 54,2% em relação ao mesmo período do ano anterior (48 casos). Ainda assim, a média de notificações de bebês com suspeitas de sequelas causadas pela doença durante a gestação foi de uma por semana no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Digite seu nome aqui